Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Maria

Lilypie Fifth Birthday tickers

Maria banho.jpg

João

Lilypie Second Birthday tickers

C:\Documents and Settings\isabel.faria\My Document

Visitas

contador gratis

calendário

Janeiro 2013

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Pesquisar

 


Curtas da Maria IX

Quarta-feira, 30.01.13

Eu em casa com ela (por causa da varicela), e a tentar trabalhar no computador. A Maria pergunta:

- O que estás a fazer, mamã?

- Estou a trabalhar.

- Posso ver?

- Sim, senta-te aqui com os teus bebés, mas diz-lhes que têm de ficar sossegadinhos.

Maria dispõe 37 bonecos à minha volta, senta-se, sorri e diz-me:

- Então vamos lá ver o youtube...

{#emotions_dlg.snob}

Nota: e a minha empresa até tem o youtube bloqueado...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Maria com varicela (à terceira é de vez)!

Quarta-feira, 30.01.13

A nossa Maria está com varicela.

Bom, a varicela é a real seca mas não posso dizer que estou muito chateada. Por vários motivos:

  1. Sempre ouvi dizer que a melhor idade para se ter varicela é em criança (desde que não muito pequena), e assim fica já despachada!
  2. Antes agora do que depois do bebé nascer e poder pegar-lhe nos primeiros meses.
  3. Há uns tempos fiz análises para confirmar a minha imunidade, porque a minha mãezinha não garantia a 100% que eu já tivesse tido (se tivesse tido um blog, saberia{#emotions_dlg.blink}) e assim dou o dinheirão das análises por bem empregue!

A Maria já escapara por duas vezes (que soubessemos) ao contágio. A primeira fora aquando de um grande surto na escola, durante a passada Primavera. E a segunda há bem pouco tempo, quando o Du a visitara já com varicela mas sem o saber. Mas, como não há duas sem três, desta feita um novo surto na escola acabou por "apanhar" a Maria (nós não sabíamos do surto, só soubemos quando ligámos a avisar a educadora, e nessa altura estavam eles a aperceber-se da coisa).

A primeira borbulha apareceu no domingo, mas não ligámos muito. Era uma bolinha redonda nas costas, na zona da cintura e até pensei que fosse de um raspar das calças ou assim. Na 2ªfeira de manhã apareceram mais umas 2 ou 3 e começámos a achar estranho. A Maria até ficou em casa com o pai, não porque suspeitássemos de varicela mas porque estava meia chocha e semi-febril. Não parecia ter comichão e eu sempre ouvira dizer que as borbulhas da varicela começam a aparecer na cara, orelhas, pescoço e assim. 

Eu estava fora de Lisboa, pelo que a seguir ao almoço recebo o telefonema do Bruno a dizer que a Maria agora tinha mais umas quantas borbulhas e começava a querer coçar. Ela estava a dormir a sesta, mas ele planeava ir com ela aos Lusíadas quando acordasse.

Ainda cheguei a casa a tempo de a ver lanchar. Achei-a relativamente bem disposta, mas definitivamente "fora de forma". Eu tinha que trabalhar e o Bruno levou-a então às urgências para confirmar a coisa.

O veredicto veio pouco depois: varicela. Ben-u-ron para a febre (Brufen NÃO!{#emotions_dlg.dnd}), zovirax para as erupções e aerius para a alergia. E um creme para cicatrizar as borbulhas mais depressa (Cicalfate da Avéne) e uma loção para o banho (da D'Aveia).

Esta semana estou, portanto, a fazer rotações com o Bruno para ficarmos com a Maria em casa. Considerando que está doente, até tem estado muito bem. Desde 2ªfeira à noite que não tem febre, está bem disposta e não se coça por aí além (é mais na zona das costas). Tem borbulhas sobretudo nas costas e barriga, pouquinhas nas pernas e braços, e algumas na cara (linha do cabelo e sobrancelhas, e uma na ponta do nariz) e pescoço. Tendo em conta o que já vi e ouvi, não me parece que seja dos casos mais agudos.

Agora estamos no final do dia 3 e espero que iniciemos o countdown da secagem das borbulhas. Muitas delas têm já crosta e não vejo novas a aparecerem.

Estou sempre atenta para ver se ela não arranca nada (tem as unhas já bem cortadas rentes), mas se ficar com uma marquinha nas costas não vem mal ao mundo. Não quero é que fique com uma marca na ponta do nariz{#emotions_dlg.amazed}!

E é isto: esperar que acabe depressinha. Até porque a Maria é uma fofa e não merece ficar fechada em casa (nem nós)!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um lanchinho com 2 novos babies (e o Du)

Quarta-feira, 30.01.13

Este fim-de-semana foi realmente muito social. Se o sábado foi quase todo passado fora de casa, o domingo não foi muito diferente. Almoço em casa dos avós, seguido de um lanche muito especial.

A minha amiga Susana, que vive em Paris, teve o seu primeiro filho - o Rafael - há 3 meses. Pouco tempo depois da irmã, a Sofia, que trabalha comigo e que tem uma menina - a Mafalda - com 6 meses.

Porque a Susana estava de visita à pátria, a Sofia resolveu organizar um lanchinho em casa dela para matarmos saudades da emigra. E conhecer o Rafael (a Mafalda já eu visitara uma vez, mas a Maria ficara em casa).

Fui eu, o Bruno e a Maria, mas também a Marta e o Du (que a Maria conhecera em Novembro), e ainda a Martinha. Ao todo, para além dos adultos, 2 crianças pequenas e 2 bebés{#emotions_dlg.chucha}.

Claro que a Maria e o Du fizeram alto alarido, como miúdos de 2 anos que são. Correram pela casa, saltaram para todo o lado (perante as tentativas desesperadas dos respectivos progenitores para não estragarem nada aos donos da casa) e soltavam gritos de "energia". Mas nós estávamos rendidos aos bebés: a Mafalda é uma fofa que já vai exigindo as atenções da praxe e o Rafael deve ser um dos bebés mais sossegados que já vi (para além de ser igual ao pai, mas com o nariz da mãe).

A Maria também deu o seu share de atenção aos bebés, principalmente à Mafalda. Quis muito fazer-lhe festinhas (eu sempre a debitar "no pézinho, Maria!") e brincar com a boneca dela. Espero que também seja muito carinhosa{#emotions_dlg.kiss} com o baby que lhe vai encher a vida daqui a uns meses.

Resta-me dizer que, como não houve direito a sesta maior que 5 minutos, no fim do lanche a Maria estava já perto do insuportável (birras, queria ficar com os carrinhos do Du...) e tivemos mesmo de vir embora (na prática, viemos todos).

Mas, feitas as contas, adorei estar com todos e tenho a certeza que a Maria também{#emotions_dlg.smile}!

 

Na falta de fotografias (shame on me!), fica esta imagem da tarde:

(imagem "roubada" ao site do Continente on-line)

 

Explicação da imagem: Esquecera-me de levar os iogurtes da Maria e ela bebeu um da Sofia, um líquido magro da Mimosa. Bom, quem a visse agarrada à garrafinha poderia pensar que a fazemos passar fome{#emotions_dlg.blushed}! Parecia que nunca tomara um iogurte na vida! As vergonhas que as crianças nos fazem passar...

Autoria e outros dados (tags, etc)

A festa da amiguinha Maria R. (a primeira da escola)

Quarta-feira, 30.01.13

Com uma indispensável sesta feita no caminho entre a Beloura e o Restelo, lá chegámos ao espaço onde teria lugar a festa da Maria R. Afinal era um espaço arrendado, onde apesar do mau tempo, conseguiram enfiar um insuflável (dos que fazem as delícias da criançada) dentro de casa. E havia uma equipa de monitoras para supervisionar os saltos e tomar conta dos miúdos.

Da escola, fomos dos primeiros a chegar, cerca das 16h15. A Maria vinha a dormir profundamente, mas mal se apercebeu que chegara à festa, arregalou os olhos de alegria e antecipação{#emotions_dlg.sarcastic}.

Fomos muito bem recebidos pela mãe e avó da aniversariante, que foram uma simpatia. E mal a monitora recolheu o nome da Maria, esta correu para dentro do castelo insuflável sem olhar para trás uma única vez. Quais vergonhas, quais quê. Já lhe ouvia os gritinhos de entusiasmo e tudo.

Perguntei à mãe da Maria R. se era suposto ficarmos, se regressarmos à hora combinada. Ela pediu desculpa por não ter indicado isso antes, mas que queria que fossemos aproveitar "para namorar" e que voltassemos por volta das 19h.

Olhámos mais umas 2 ou 3 vezes para a Maria, mas ela nada. Estava super feliz da vida com as amiguinhas da escola.

Bom, e nesta onda, aproveitámos mesmo para namorar. Comprámos uns gelados (estava frio, mas sol), passeámos pelo jardim de Belém (cheio de famílias), e acabámos a tarde no CCB, a ver a colecção temporária do museu Berardo. É assim, eu não quero saber se sou uma saloia cultural, mas, a mim, aquele tipo de arte só me dá vontade de rir. E ao Bruno também. A minha peça preferida foi um frigorífico todo mocado, acompanhado do vídeo do "artista" (também devia estar, ele próprio, "mocado") a mandar pedras ao dito. Ou seja, saímos do CCB em clima de boa disposição{#emotions_dlg.lol}.

Regressámos à festinha faltavam 10 minutos para as 19h. A mãe da Maria R. disse logo que a Maria se tinha portado bem e que estava tudo OK. Óptimo. Confesso que o pensamento "Como estará a Maria? Estará bem?" nunca me largara completamente. Mas ali pude comprovar que ela estava mais que bem. Descalça, com a roupa toda amarrotada e de cara pintada. Marcas de quem se está a divertir.

Claro que convencê-la a voltar para a casa não foi tão fácil como isso. Teve de ser ao mesmo tempo que outras amigas, depois de muitos abracinhos de despedida. E ainda trouxe para casa, para além do cansaço bom, uma lembrança da Maria R. (umas canetas de feltro do Mickey).

Sem dúvida, uma estreia em grande{#emotions_dlg.ok}. Esperemos que as próximas sejam igualmente divertidas!

 

A Maria a abrir a lembrança, já em casa (a foto é mais para ser que tinha a cara pintada - uma flor e uma borboleta nas bochechas, e uma coroa na testa):

 

PS1: Eu sei que se deve abrir as lembranças à frente de quem oferece, mas foi a mãe da Maria R. que insistiu que abrissemos só em casa.  

PS2: Depois de tanta canseira, seria de esperar que "aterrasse" na cama. Mas não, continua a lutar contra o sono de uma forma que chega a ser desesperante...  

Autoria e outros dados (tags, etc)

O almoço anual de (parte da) família

Quarta-feira, 30.01.13

Já estava marcado desde o princípio de Dezembro. Para sábado, dia 26 de Janeiro. O almoço anual da família da avó materna, que mete muitos tios e primos numa tarde bem passada, normalmente no Pestana da Beloura.

Este ano não foi excepção. O encontro começou com uma missa, muito feita à medida da família e com muita música. O padre abençoou todas as crianças individualmente e até veio abençoar o meu baby embutido. A Maria aguentou-se bem enquanto esteve na missa mas a certa altura o avô levou-a a dar uma voltinha.

Depois dos aperitivos, o almoço. A sala tinha um espaço dedicado aos miúdos, com uma casinha de bolas, duas mesinhas com livros e material de desenho, e bonecada vária. Mas claro que eles deram logo foi com os acessórios (chapéus, plumas e cabeleiras) para os jogos dos adultos, bem mais apelativos{#emotions_dlg.pimp}! A Maria e a prima Mafalda (com 5 anos) entretiveram-se a mascarar-se enquanto o almoço não começava.

O tema do encontro era Música e cada mesa tinha o nome de um artista. Assim, o "almoço" iniciou-se com elementos de cada uma das mesas a dançar coreografias da playstation, e ganhou a mesa da tia Nafi (com a nossa logo atrás).

O almoço era buffet, e entre jogos lá fomos comendo. Consegui "apanhar" a Maria o tempo suficiente para lhe enfiar uma sopa e um bifinho com arroz pela boca abaixo, mas eu é que comi muito à pressa. É que entretanto teríamos de sair para levar a Maria à festa da amiguinha Maria R.

De qualquer forma, ainda antes de sairmos, o Bruno ainda contribuiu com uma magnífica prestação vocal{#emotions_dlg.star} para o jogo do Singstar (cantou o Playback do Paião), em representação da nossa mesa. E, posto isto, com uma Maria em prantos a dizer que não queria ir embora (apesar de ser para a festinha da amiga), deixámos uma família animada em direcção a nova festa.

Mais tarde, liguei aos meus pais para saber como tinha decorrido o resto do encontro. "Muito divertido", mas o facto mais engraçado é que a performance do Bruno levou à vitória overall da nossa mesa (pelo segundo ano consecutivo). Enfim, para o ano há mais. E, nos entretantos, vou ali inscrever o Bruno n'A Voz{#emotions_dlg.blink}.

 

Maria e Mafalda muito divertidas:

E perante um Bruno a fazer palhaçadas com os adereços:

 

PS: Não resisto a partilhar uma "curta" que não é da Maria, mas de um primito, o Manel, que em resposta à pergunta do padre "Ó Manel, e há lá coisa mais bonita do que estar com o pai e com a mãe?", responde "Há! A Kidzania!".{#emotions_dlg.lol}

Autoria e outros dados (tags, etc)

A primeira festa de uma amiguinha da escola: o convite

Quarta-feira, 30.01.13

Claro que este dia haveria de chegar! A primeira festa de aniversário de uma amiguinha da escola. Eu só não pensei que fosse tão cedo.

A verdade é que, apesar de a Maria só completar os 3 anos em Abril, os amiguinhos dela começam agora a fazê-los. E é aos 3 anos que - dizem-me os entendidos - se podem "abrir as hostilidades" neste capítulo que é convidar os amigos da escola para as festas de anos.

Na verdade, eu ainda não sei se o farei já. Subconscientemente, imaginei que o faria na festa dos 5 anos da Maria, eventualmente na dos 4. Mas eles ainda me parecem tão pequeninos que tenho dúvidas. Se bem que a Maria já tenha algumas amigas e amigos da escola que adora{#emotions_dlg.inlove}, e com quem anda sempre "colada". Bom, daqui a uns meses verei isso com o Bruno.

Por agora, é tempo de receber os convites. E este primeiro veio de uma outra menina chamada Maria, que é da turma da nossa Maria (há 3 Marias numa das salas dos 2 anos e 0 na outra). O convite era para a festa que se realizaria no dia 26 de Janeiro (sábado) e, pelo que pude perceber, todas as crianças da sala foram convidadas (pelas regras de etiqueta, ou se convida apenas uma minoria mais chegada, ou então são todos).

A minha primeira reacção foi de alegria por ela{#emotions_dlg.happy} "Claro que vai, vai divertir-se imenso" (e confirmei a presença dela). E depois foi "Espera lá, será que vai ser em casa da miúda ou será que vão para um espaço arrendado? E será que têm gente suficiente a tomar conta das crianças?". E depois ainda "Se for para os pais se virem embora, será que ela estranha?". Enfim, uma série de dúvidas pseudo-inquietantes.

Com o passar dos dias, a Maria ia falando cada vez mais na festinha da Maria R., que iriam cantar-lhe os parabéns e que iriam brincar todos juntos. Notava-se que estava entusiasmada com a coisa, e eu e o Bruno até usávamos a exclusão da festa como ameaça caso ela se portasse mal{#emotions_dlg.blink}.

A uns dias da festa, pensava eu que já tinha tudo clarificado mentalmente, quando tenho um raio de um pesadelo (péssimo, e não sei porquê o cenário era a neve) onde os personagens são a Maria e uns pais de uma amiguinha a quem ela estava confiada. Acordei em sobressalto. Já vi que eu, como mãe, sonho com o coração. Será que vai ser sempre assim?

 

O convite fofinho (o de papel mesmo):

Autoria e outros dados (tags, etc)

A festa dos 3 anos da amiga Leonor

Quarta-feira, 30.01.13

Este ano, dia 20 de Janeiro calhou a um domingo, pelo que a festinha de aniversário da Leonor realizou-se no próprio dia dos anos dela.

Assim, e depois de termos almoçado em casa dos avós, seguimos directos para Alvalade, para a festa em casa dos nossos amigos João e Joana. Os 7 minutos que durou a viagem entre a casa dos avós e a casa dos nossos amigos foram a duração total da sesta da Maria nesse dia, o que nos deixou levemente preocupados{#emotions_dlg.sidemouth} com a sua disposição para o resto da tarde.

Mas a Maria e a Leonor, mal se viram, abriram logo sorrisos e foram brincar, divertidas. A Leonor estava super feliz. E as outras crianças não tardaram a chegar. Vieram o Miguel, a Beatriz, o Ricardinho e um rapazinho chamado Duarte que eu não conhecia. Os miúdos portaram-se bem e alternavam entre o quarto das brincadeiras e a sala, entre gritinhos de alegria. Só me chateei com a Maria porque não parava de desarrumar livros e espalhá-los pela sala (e com a falta de sono temia uma birra), mas rapidamente lhe desviámos a atenção. Aliás, o João Maria é que captou as atenções dos miúdos ao trazer uma máquina de fazer pipocas para a sala, o que foi um sucesso com a criançada, que ficou quietinha à espera que estas começassem a saltar{#emotions_dlg.default}.

Entre os adultos, o mesmo João Maria assustava-me a mim e ao Bruno, e à Isabel e ao Ricardo (os dois casais "grávidos" na festa) com as histórias de "terror" associadas aos primeiros meses com 2 filhos. O Pedro (irmão da Leonor) tem agora 6 meses e está um amor, mas segundo o João e a Joana dorme muito mal de noite. E, por conseguinte, também eles... Bom, acho que só me vou preocupar daqui a uns meses. Por enquanto, tenho de aproveitar o quanto tenho dormido (e bem)!

Cantámos os parabéns ao fim da tarde, com a Maria ao lado da aniversariante, muito juntinhas. O bolo (feito pela Joana) era óptimo e, como grávida, tive direito a uma fatia enorme{#emotions_dlg.tongue}!

Já eram horas de começarmos a despedir-nos (afinal, o dia seguinte seria dia de escola). E aí é que a Maria deu sinal de birra de sono, ao começar a dizer que não queria ir embora. Tivemos mesmo de a pegar ao colo e convencê-la, entre lágrimas. Mas, antes de sairmos, ela lá acalmou com a ajuda da Leonor, que lhe ofereceu duas lembranças fofas do seu aniversário: um conjunto de lápis de cor, e um tubo de bolinhas de sabão. Giríssimos os presentinhos, com a cara da Leonor e com um enorme 3 cor-de rosa estampados. E as bolas de sabão ainda hoje fazem sucesso cá em casa!

 

Imagens da festa da Leonor:

1 - À espera das pipocas!

2 - Com a Leonor, antes de se acenderem as velas

E a gozar a lembrança das bolinhas de sabão, já na nossa banheira{#emotions_dlg.ok}

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mais um chez tio Carlosbasto

Quarta-feira, 30.01.13

Já não havia jantaradas chez tio Carlosbasto há algum tempo. Pois naquela 6ªfeira o chef do grupo decidiu que ia "caprichar" o jantar e nós não hesitámos em ir, apesar do alerta amarelo (imenso vento, chuva e frio{#emotions_dlg.ice}) que se fazia sentir em Lisboa.

Como adivinhávamos que o jantar se iria iniciar mais "para o tarde", demos o jantar à Maria ainda em casa, antes de sair. E lá fomos nós, tendo a sorte de estacionar pertinho da porta num momento em que não chovia.

O jantar (que, lá está, só começou depois do jogo do SCP acabar) decorreu de forma animada, com a Maria sempre pendurada num tio ou tia. Levara dois bonecos com ela, mas os tios eram-lhe muito mais apelativos para as brincadeiras.

Enquanto jantávamos (um menu que não defraudou ninguém, composto por folhado de requeijão e noz - how fancy!{#emotions_dlg.tongue}, peixinho assado no forno com batata e salada, e crepes de chocolate), a Maria foi petiscando algumas coisas... e quando chegou ao crepe de chocolate, aí sim, devorou grande parte do meu!

O resto da noite foi essencialmente passado na conversa, mas eu não recordo grande parte. Isto porque, apesar da Maria continuar de olho arregalado a brincar, eu adormeci "redonda" no sofá! Não há dúvida que a gravidez me dá um sono extra brutal!

 

Maria e o tio Carlosbasto na brincadeira:

Autoria e outros dados (tags, etc)

O aniversário da tia Fuf

Quarta-feira, 30.01.13

A tia Fuf é a primeira tia a fazer anos - logo a 7 de Janeiro. Como este ano calhou num dia de semana, a Maria deu-lhe os parabéns à noite pelo telemóvel, mas foi também convidada para a sua festa, que se realizou no sábado seguinte. A tia Fuf foi sensível à opinião dos convidados (pelo menos à minha foi {#emotions_dlg.blink}) e organizou um almoço num restaurante espaçoso e agradável. É que almoço facilita por causa da Maria e também porque, sinceramente, eu adormeço logo a seguir ao jantar...

Apesar de a comida ser boa, a Maria não comeu grande coisa (pelo menos a sopa comeu bem), mas quando se apanhou com uma mala de açucar à frente (uma das que enfeitava o bolo de anos - giríssimo), não esperou mais de 2 segundos até lhe dar uma enorme dentada{#emotions_dlg.drool}! A culpa foi da tia Preta, que foi buscar a coisa de propósito para ela.

Depois do almoço, ainda fomos a casa dos tios Fufs, em Alcochete, para a entrega dos presentes e dois dedos de conversa. A Maria ficou encarregue de distribuir os embrulhos à tia Fuf, enquanto os adultos riam (de alguns dos presentes "menos bonitos" - temos sempre essa secção).

Saímos de casa dos Fufs quando já estava escuro cá fora... embora ainda não fosse muito tarde. E a Maria, cansada do convívio, veio para Lisboa sempre a dormir. 

 

Da festa da tia Fuf:

1 - O cantar dos parabéns (tia Fuf com aquele ar de "eu não queria nada ser o centro das atenções"):

2 - Logo após a doce (e única) dentada:

 

3 - A entregar um dos presentes à tia Fuf:

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dia de Reis em Palmela

Quarta-feira, 30.01.13

A (bis)avó Fifina já tinha dito (repetidamente) que a época de Natal só acabava mesmo dia 13 de Janeiro. E que, como a Maria não passara cá o Natal, tínhamos de passar por Palmela até dia 13, para que a Maria também pudesse ver as decorações de lá, e receber os últimos presentes.

Mas, mais do que isso, é sempre bom ir passar um dia a Palmela para estar com os (bis)avós e (muitas vezes) a tia Fofi. Para a Maria há sempre muitas atenções especiais, há espaço para correr à vontade{#emotions_dlg.boot}, e para todos há sempre óptima comidinha caseira da avó.

E assim, fomos lá almoçar no Dia de Reis, juntamente com os avós e a tia Nafi.

A Maria adorou ver as luzes por todo o lado e o presépio, mas ainda gostou mais de ver o enorme Pai Natal de chocolate que o (bis)avô João lhe deu. Tanto que até almoçou com ele à frente!

E, mesmo já tendo passado o Natal, ainda teve direito a receber umas últimas (e belas) prendas! Os bisavós (que lhe haviam oferecido as botas altas) ainda a presentearam com o seu primeiro leitor de CDs - do Noddy -, coisa que pus on hold até ela poder usar sem estragar logo à primeira (o que seria uma verdadeira pena). E a tia Fofi, que gosta de oferecer em mão, deu à Maria uma grande caixa de Legos. A tia Fofi adora dar Legos à Maria e eu adoro que a tia Fofi adore dar-lhe Legos{#emotions_dlg.sarcastic}. É que, para mim, são mesmo o melhor brinquedo do mundo. E ela já vai fazendo a sua colecção (tanto que eu tenho que arranjar umas caixas decentes para os arrumar).

Os Legos ainda vinham com um bónus chamado m&m's, coisa que tive de esconder da vista da Mary rapidamente, que esta miúda come doces demais (então nesta altura nem se fala!).

O tempo estava fraquito, mas ainda deu para a Maria ir brincar um bocadinho para o jardim. É sempre bom poder vê-la fora de quatro paredes, mas bolas como eu quero que o Verão chegue rápido!! Até para voltar a ver a alegria da Maria na piscina de Palmela...{#emotions_dlg.happy}

Como sempre, uma tarde passada em beleza!

 

Dois momentos da tarde:

{#emotions_dlg.king}

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentários recentes

  • Dentista em Lisboa

    Sempre que as crianças fazem uma conquista é uma v...

  • Janete

    Que doçura de blog! Parecem muito felizes!

  • Paula

    OláA procura de sítiio onde ficar no algarve ,enco...

  • Preta

    Este blog encerrou e não avisaste os teus leitores...

  • MIF

    Fica prometido!Beijinhos e saudades,MIF






subscrever feeds



Pág. 1/4